terça-feira, 1 de junho de 2010

Coisa de pele



O Diogo Nogueira (aquele cantor e compositor de samba do bom, que é pura sedução) interpreta lindamente uma música com esse título, de autoria do Jorge Aragão. Está no seu segundo cd. E a letra diz: "não dá pra fugir dessa coisa de pele..."
E dá? Penso que não mesmo. É mais forte que a gente. E enquanto a gente não realiza o desejo dá uma ansiedade... O sono vai embora. E qualquer contato com a pessoa da pele atraente é suficiente para que a cena do toque seja refeita milhares de vezes na nossa cabeça. Já fiquei uma semana inteira com um beijo na cabeça, lembrando do sabor, da intensidade... E dos batimentos cardíacos que se alteraram naquele momento.
E essa coisa de pele não existe para resistirmos. Quando bate precisa ser vivida até o fim. Sim. Infelizmente tem fim. Às vezes, um fim mais rápido do que esperamos. Do que desejamos. Afinal, a gente é complicado, né?!
Em vez de abraçar, beijar, ficar juntinho, a gente inventa de querer conversar. Insiste em expor opiniões, demonstrar experiências e conhecimentos. O resultado pode ser catastrófico. Tudo isso porque somos essencialmente sociais. Se fossemos um pouquinho mais "instintivos" nos contentaríamos com abraços, mordiscos, beijinhos! Tudo seria tão mais fácil...
E somos nós, mulheres, as primeiras a ter essa ideia de "conversar", discutir, trocar informações, expor fatos. O grande problema é que realmente falamos outra língua e os homens realmente não nos entendem. E quando pensam que entendem o risco de desencontros é ainda maior.
Por isso tudo, eu vou me valer do direito de ficar quietinha, no meu cantinho, esperando, quem sabe, que um exemplar da espécie masculina resolva escrever um manual de como lidar com "eles" e me presenteie com um!

2 comentários:

Vera Pereira disse...

Nossa, você me salvou hoje!

Estava prestes a engatar uma conversa (não uma DR) mas uma conversa sobre pretensões, ambições e expectativas futuras e coisas do gênero...

Em vez disso, vou aproveitar o sábado gelado para um bom vinho e "abraços, mordiscos e beijinhos!".

Sejamos mais instinto e menos razão. Pelo menos por hoje!

bjs

Nane de Sousa disse...

Não é? E tem coisa melhor? Tudo bem que somos seres pensantes, mas nao precisamos complicar sempre, né?! Bjs e otimo fds!